RESENHA: A LIBÉLULA NO ÂMBAR

ATENÇÃO, CONTÉM SPOILERS! LEIA POR SUA CONTA E RISCO.                  Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo... E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e de todos que dependem deste futuro?                                                                                      Editora: Saída de Emergência | Autora: Diana Gabaldon | Nota: ★★★★
 AE. Voltei! Dessa vez pra não perder o costume amado, com resenha de livro. 
A de hoje é A Libélula no Âmbar, segundo volume da minha MAIS QUE AMADA série Outlander ? Recebi da parceria com a Editora Saída de Emergência ano passado ou no final de 2014 eu acho (SIM, SHAME ON ME), mas só fui conseguir lê-lo ano passado e continuando esse ano porque tinha outros na frente e meu volume de leitura tem andado bem uó.

Então, a primeira coisa que posso falar do livro é a grossura. É um calhamaço de 937 páginas. Isso não me desanimou porque já li um de 1039, Xogum, foi o meu recorde. 

Vimos que no final do primeiro volume de Outlander, A Viajante do Tempo, depois de tanta reviravolta e treta e perseguição, Claire e Jaime conseguem fugir da Escócia. A revelação do desastre iminente do Levante Jacobita já começa a deixar a leitora aqui louca ainda no primeiro livro. E aí você começa a leitura achando que vai se deparar com o começo da treta toda em Paris. Mas na verdade na própria sinopse do livro você já toma um MEGA SPOILER, uma bomba no meio da cara: CLAIRE VOLTOU PARA A ÉPOCA DELA, NÃO SE SABE COMO NEM PORQUÊ, SE PASSARAM VINTE ANOS, ELA TEM UMA FILHA E QUER CONTAR TODA A VERDADE A ELA. 


Com essa bomba toda eu já fiquei MUITO chocada porque não se sabe absolutamente NADA das circunstâncias que fizeram Claire voltar. Mas ela quer contar à filha, Brianna, a verdade sobre sua origem. Pra isso vai com ela à Escócia e é auxiliada por Roger, o filho adotivo do Reverendo Wakefield, lembram? Pois é, depois de vinte anos ele cresceu e também vai ouvir toda a história mirabolante de Claire. Não sem antes visitarem certos locais históricos, cujas cenas ACABAM COM NOSSO CORAÇÃO, TO FALANO SÉRIO GENTE. FIQUEI MUITO MAL, NOSSA, A VONTADE É SENTAR NO CHÃO E CHORAR. 

E aí, depois de um começo meio lento, ela começa a revelar tudo que ficou guardando por duas décadas. Começando de onde tínhamos parado no livro anterior, que é justamente a chegada dela e de Jamie à França. Diana Gabaldon, como sempre, é maravilhosa nas descrições, nas ambientações, nos detalhes, em TUDO, e nos faz sentir como se realmente estivéssemos ali. Além do quê, a escrita dela é uma delícia. A corte francesa e a vida em Paris são muito diferentes da Escócia que vimos no primeiro livro, e Claire e Jamie passam por muitos momentos curiosos e engraçados. Mas lembrando, a intenção deles ao ir para Paris é a de sondar a rebelião jacobita e quem sabe, tentar frustrar os planos do mimado príncipe Charles de algum modo, se relacionando com a corte parisiense, com outros nobres e entrando no comércio de vinhos de um primo de Jamie que já mora lá, Jared. 


Ao longo do livro, eles vão conseguindo essa aproximação e mais informações super importantes, assim como novos personagens são introduzidos, alguns do primeiro livro reaparecem e tal. O único problema é que essa parte de Paris se delonga um pouco, às vezes Diana demora muito com detalhes nem sempre tão relevantes e acho que isso contribuiu bem para o tamanho do livro. Essa é minha ÚNICA crítica, porque como no primeiro ela consegue te deixar muito envolvida na leitura, unindo os acontecimentos e tal. Além disso, tem outras coisas que gostamos que reaparecem, como TRETAS e antigos desafetos dos dois, várias surpresas que te fazem cair o queixo, MAIS TRETA e cenas hots! HAHAHA :p Coisa que a dona Diana sabe escrever muito bem aliás. 

Depois de muito tempo em Paris, a história evolui e Jamie e Claire voltam à Escócia acompanhando a rebelião jacobita, que pelo jeito, vai mesmo acontecer. E aí vem uma parte mais legal, que trata muito da política toda, das coisas de guerra, da logística, preparações e tudo mais, isso tudo sem chegar perto de ser massante. Diana é mesmo uma escritora incrível! :) E falando em incrível, Claire continua sendo uma protagonista feminina badass, que dá gosto de ler! Jamie continua sendo o mesmo besta em certos momentos hahaha, mas o humor de certas cenas dos dois juntos, por exemplo, é muito bem construído, e a narração em primeira pessoa de Claire continua com suas passagens irônicas e muito bem humoradas de certa forma, impossível não rir e admirar a ela e sua presença de espírito. 


E então, 1745, a guerra chega, Claire vai contando os relatos de Jamie e NOSSA, é muita desgraça. Eu mesmo gostando muito de história, principalmente da Bretanha e Escócia, sequer fazia muita idéia do que foi o Levante Jacobita, e mesmo que soubesse, não saberia com essa riqueza de detalhes que só lendo Outlander conseguimos ter. É tudo muito impactante e entristecedor, só consegui ficar pensando se esse imbecil do Charles tivesse desistido, quantas vidas teriam sido poupadas, quanto sofrimento evitado e quanto sangue teria deixado de ser derramado. Além de uma cultura inteira que não teria sido extirpada como foi a das Highlands, seus clãs, tartãns, kilts e tudo mais. É revoltante saber que até o uso dos kilts foi proibido após a Escócia ter sido massacrada pela Inglaterra. 

E CLARO que a guerra só poderia trazer complicações pra Claire e Jamie né? Não tinha como não dar merda. E ainda por cima, Jamie acha que Claire está grávida, e acaba acertando. E aí gente, a reta final do livro é um absurdo. Eu não quero contar aqui o que acontece mas NOSSA, NOSSA, NOSSA. Eu chorei, eu me acabei, EU FIQUEI MUITO MAL.
O problema é que, não satisfeita com o nosso sofrimento, Diana quer MAIS choro, gritos e ranger de dentes. Depois que Claire termina de contar como voltou à sua época, tem MUITO mais treta por vir. A história não acaba, certas personagens mortas (e aqui eu uso o feminino porque a palavra É no feminino, gemt) dão um jeito de "assombrar" a história de certa forma, o que achei bem legal porque no primeiro livro essa personagem específica me deixou bem curiosa e impressionada. 
E aí ligado a isso, Claire e Roger continuam com as pesquisas pra saber o que ocorreu realmente após a batalha de Culloden, onde todos foram massacrados. E AÍ É QUE ACONTECE UMA COISA QUE GENTE, FINAL DO LIVRO, ÚLTIMA PÁGINA, QUIS LARGAR E SAIR CORRENDO SEM RUMO PQ SINCERAMENTE. É MUITA LOUCURA E PLOT-TWIST, NÃO SOU OBRIGADA.


Só sei que a relativa encheção de linguiça da Diana com esse volume não é NADA perto da continuação incrível da história que temos aqui. Simplesmente Outlander É VIDA, É AMOR, ESCÓCIA, JAMIE, CLAIRE ESSIDOIS. Desde A Maldição do Tigre eu não lia uma série TÃO boa, então se você ainda não leu Outlander, infeliz, vá fazer algo útil com a sua vida e LEIA. LEIA LOGO, MONAMUR.

E ah, a título de informação, agora quem publicará Outlander não vai ser mais a Editora Saída de Emergência e sim a Arqueiro, que englobou a maioria das séries que eram publicadas pela SdE. Uma pena, porque sei da parceria das duas editoras, já que a SdE é originalmente portuguesa e veio pra cá através da Arqueiro, e se não fosse ter vindo pra cá, dificilmente eu teria acesso à essas edições maravilhosas de Outlander. 

E ah, sabe quem também é outra surtada com Outlander? Minha vó! Isso mesmo, ela é outra rata literária que nem eu, e quando terminei o primeiro livro sabia que ela amaria a história. Dei pra ela ler, ela devorou tudo, virou sassenach e leu o MEU A Libélula no Âmbar ANTES de mim, pode isso produção?! Eu nem tinha pegado o Libélula ainda, ela terminou, comprou o terceiro parte I e II, tá atualmente devorando o quarto e anos-luz na minha frente com a história! Daí ela fica me falando que acontece tanta coisa chocante que eu nem imagino e tal, mas eu sei que ainda vai demorar pra eu ler o terceiro parte I porque tenho outros livros na frente, poxa vó! >:( Hahahaha. 

Beijos! :*

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Oieeeeeeeeee!
    Vim aqui deixar um breve recadinho pra dizer que fiz uma listinha super especial e eu espero muito que você goste do que tem lá!

    Blogs que a Guerreira ama!! ♥

    ResponderExcluir

© KURONEKO - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | CRIADO POR YASMIN BERARDINELLI