RESENHA: CINQUENTA TONS DE CINZA + NOVO LAY + AGRADECIMENTO

Primeiramente, FINALMENTE o blog está com layout novo! Foi o mais rápido que já fiz na vida haha, porque passei quase 3 dias e noites inteiros fazendo. Parece fácil mas não é, quem faz o seu sabe, e ainda mais com essa montoeira de códigos que a gente tem que colocar de um lay pra outro novo. Nesse tentei fazer a coisa o mais clean que eu consegui, pensando sempre "menos é mais", e quis deixar com menos cara de blog pessoal, pois tava cansada daquelas colunas pequenas e da fonte miúda também. 

Segundo, hoje saiu o resultado da seleção de blogs parceiros de 2015 com as queridas editoras Arqueiro, Sextante e Saída de Emergência, e infelizmente, dessa vez o Kuroneko não renovou. Como estivemos juntos desde 2012, só queria agradecer a essas editoras queridas, que sempre tiveram um cuidado especial com os blogs parceiros e sempre atenderam tão bem as minhas solicitações, fosse pra resenha ou sorteio. E ano que vem, tentaremos de novo, com certeza!

E sobre o assunto principal do post, olha QUE LEGAL, tô escrevendo essa fucking resenha pela SEGUNDA vez, porque a fucking companhia de energia do meu estado, a maldita CEMIG, é uma bosta incompetente e fez o favor de deixar a luz cair aqui no meu bairro, enquanto eu já tinha escrito tudo mas ainda não tinha salvo. Pior é que reclamei disso no Facebook e veio um da minha cidade falando que pra ele não tinha caído... Pra aumentar mais ainda minha raiva né. 
Então vou tentar lembrar e reproduzir o que eu conseguir, mas não garanto nada :/

----------


Quando a jovem estudante de literatura Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle.

Então, resolvi ler o livro movida pela mesma curiosidade que me move a ler clássicos, pra saber O MOTIVO de tanto sucesso. Peguei emprestado com a minha mãe, que ganhou de presente e não leu haha. O livro foi escrito inicialmente, segundo a autora, como uma fanfic de Crepúsculo/Twilixo num universo alternativo, e depois ela alterou pra uma história "normal". 

Temos então Anatasia Steele, universitária de 21 anos, inocente, virgem, sem experiência com homens, que vai entrevistar o magnata Christian Grey pro jornal da faculdade no lugar de sua amiga Kate, com quem mora, que ficou doente. 
A coisa mais ridícula é o tropeção que ela dá logo na entrada da sala. Gente, eu já tropecei muito feiamente nessa vida, mas em ESCADAS, não me lembro disso num chão plano, peraí. 
O livro é narrado em 1ª pessoa, sob o ponto de vista de Ana. Eu pessoalmente não gosto de narrativas assim, mas algumas passagens irônicas e engraçadinhas ajudam a melhorar a leitura. Que, claro, pelo estilo do livro, é simples, repetitiva às vezes, mas dá pra ler sem achar MUITO chata ou comum. 

Daí, ela coincidentemente (ou não, sei lá) se encontra com Christian mais uma outra vez, e leva alguns encontros para as coisas começarem a rolar, ao menos ele não se mostra muito afobado, mas a "atração" entre os dois é clara desde a primeira cena. O que não dá pra entender é esse desejo todo dele por ela, considerando que segundo o livro, ela é toda insegura, se veste com umas roupas que não a valorizam em nada e tal (ou seja, uma verdadeira Bella Swanta), isso até começar a se relacionar com Christian e passar a ficar mais arrumadinha né.


Ela é uma personagem que na maioria dos casos eu detestei, por ser uma tonta que se apaixona de uma hora pra outra por um desconhecido, e pensa como se a vida dela dependesse disso. Em certa hora do livro ela chega a chorar porque ele dá uma espécie de fora nela, quando eles NEM têm nada ainda, WTF moça? Poré m as partes boas dela são quando ela narra algo engraçado, ou responde ao Christian com alguma ironia e/ou sarcasmo, o que acaba deixando o livro mais leve.

Agora, Christian é um personagem que claramente tem problemas. Achei meio injustificado, infundado, sem sentido, sei lá, esse gosto por controle ter se desenvolvido por traumas de infância e por uma outra coisa que ele sofre na adolescência. SPOILER (selecione pra ler, por sua conta e risco): peraí, a Ana realmente ACHA que a tal Mrs. Robinson o molestou e ele foi uma vítima, mimimi tadinho? Com 15 anos é uma coisa, mas passou dos 18 já sabe muito bem o que está fazendo, e ele continuou com ela né... 

 O pior é que apesar de ser um problemático controlador, Christian também tem alguns momentos toleráveis, o que faz com que você não deteste o personagem totalmente. Mas certas coisas entre os dois me mataram de raiva, como por exemplo, uma cena de sexo onde Christian, com raivinha e mimimi, praticamente usa Ana, e depois ela só fica meio boba com o acontecido, e não reage de nenhuma outra maneira que deveria ter sido a certa. E aí, numa das cenas finais, que cria um problemão entre os dois, ela faz um caso desnecessário, considerando que era algo que ele já tinha feito com ela antes, ela sabia como era e tal, era só ter negado e não ter feito se sabia que podia se incomodar mais dessa vez, simples não? Eu até entendi o ponto de vista dela, mas eu teria estourado com ele por muito menos que isso, o que prova que Anastasia, apesar das tiradas engraçadas e irônicas, age como uma tonta nas horas decisivas. E ninguém aguenta protagonista tonta.


Ah, e sobre as cenas de sexo, claro que elas são muitas, e são bem escritas, sem palavrões ou linguagem baixa, mas em certos pontos ficam meio repetitivas, inclusive nos exageros. E tenho pra mim que o tema BDSM que a autora usou, ela quis colocar pouco ou sei lá, porque antes de ler o livro você fica na expectativa, achando que vai ter muita coisa chocante e tal, e na verdade não tem nada muito assim. Acho que o problema maior é toda a explicação que Christian cria para o PORQUÊ Anastasia deve aceitar ser a submissa e tal, é como se tudo girasse em torno DELE, e isso me irrita demais. 

E outro problema do livro é que bem, são 455 páginas, e muita coisa podia ter sido cortada. Ou ao menos substituída por alguma exploração mais útil, como por exemplo, a família de Christian, que aparece pouco, ou Kate, a amiga de quarto de Ana. Esse tamanho do livro faz a leitura se arrastar um bocado, porque tem muita coisa desnecessária que poderia ter sido cortada. 

Mas infelizmente, eu fiquei curiosa pra saber como será a mudança do maníaco do Christian nos outros dois livros (pois ele já mostrou alguma pouca nesse primeiro), algum dia vejo se leio. Enfim, é um livro leve e sem profundidade  nenhuma, serve mais pra distrair a cabeça depois de ler dois livros muito densos ou complexos.

Então é isso, até o próximo post :*

Comente com o Facebook:

19 comentários:

  1. A maneira que você resenha os livros são demais rsrsrs mostra mesmo claramente a opinião sua referente ao livro e concordo plenamente rsrs tbm não curti muito esse cinquenta tons de cinza, mas falam tanto tanto que acabamos ficando curiosa rsrs
    Ah e sei como é da trabalho criar um layout novo no ultimo fiquei quase uma semana e meia, pausando, pensando e retorna a altera até chega numa decisão final rsrs
    Ficou lindo o design do blog!!

    Bjox karinhoso da Kaa
    ❤Senhorita Inspiradora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Karina ^^ Pois é, vira e mexe aparece uma série pra deixar a gente louca de curiosidade porque falam tanto, e na maioria das vezes a surpresa não é muito boa né... E nem me fale de fazer layouts, esse deu tanto trabalho que acho que vou deixar pro resto da vida hahaha.
      Beijos e obrigada pelo coment!

      Excluir
  2. A melhor resenha desse livro que já li, realmente um livro sem profundidade, essa frase resume o livro todo.

    palavrasdelucidez.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lucas! Pois é, acho que a autora não foi muito feliz ao escolher a personagem principal e enrolar tanto com coisas que poderiam ser cortadas, a história tinha chance de ficar bem melhor.

      Excluir
  3. Meninaaaaaaaaaaa, seu blog ficou lindo!
    Uma pena ter tirado a fotinha da Misa! =/
    Mas ficou muito bom, e eu sei como é trabalhoso mexer com layouts por conta propria, eu sempre que tenho tempo tento mudar alguma coisa no meu, ainda tem algumas coisas a serem mudadas, mas vai levar um tempo maior xD.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh obrigada! ♥ Sim, também fiquei com pena de abandonar o lay da Misa pois gostei muito de como ficou e de fazê-lo, mas achei que o blog estava precisando de novos ares, aquela versão já estava aqui tinha uns 2 anos hahaha :p

      Excluir
  4. Olá, tudo bem?

    Senta aqui, vamos conversar... pq tanto ódio no coração? HAHAHAHAHAHAHA Brincadeira! Super concordo com tudo o que falou. Twilight teve uma história fraca e personagens não muito bem construídos, mas pelo menos a Stephanie sabe escrever. Tanto que não curti Twilight mas gostei de A Hospedeira. Mas a autora de 50 Tons conseguiu pegar a temática tuim de Tw e adicionar à sua escrita grotesca e sem noção. Sério, eu li 50 páginas desse livro e já taquei na parede e desisti na hora de ler. A pessoa não sabe dar um paço sem cair no chão, tipo, oi? Você tem probleminha, minha filha, vai olhar um ortopedista que esse pé seu tá com problema! HAHHAHAHAHA

    Sem falar que o Grey é a personificação de um cara doente. Esse lance de contrato com dominador e submissa é coisa de gente doida O.o. É o mesmo que ocorreu em Belo Desastre, todas as mulheres se derretendo pelo bad boy sendo que o cara é o maior psicopata da história, mas só pq tem um bíceps do tamanho da minha perna e tatuagem, as meninas se derretem por ele. Enfim, adorei sua resenha e a forma como expôs seu ponto de vista o/. Curti o novo layout tbm *__*

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é ódio Matheus, é só um criticismo e mania de reclamar muito grandes que eu tenho hahahaha :p Mas hm, não achei a escrita da E.L. James tão ruim, o fato de ser engraçada e irônica em algumas partes fez a leitura do livro mais suportável (tirando as horas em que ela exagera com Ana parecendo que vai morrer pelo Christian, mas aí já é problema da personagem né). Sobre a Stephenie Meyer, só li Crepúsculo e Lua Nova, foi o que eu aguentei hahaha, mas sou bem curiosa com A Hospedeira, parece que é uma história mais madura e tal né, vejo muita gente elogiando.
      E nossa, SÉRIO que Belo Desastre tem personagem surtado também? Eu nem fazia idéia, nunca vi ninguém falando disso em nenhuma resenha do livro :O Só me deixou mais curiosa ainda pra ler um dia hehe.
      Beijos!

      Excluir
  5. Oi Yasmin!! Não conhecia seu layout anterior, mas esse aqui está lindo! Bate aqui, também não consegui parceria com a Arqueiro hihi E eu fico feliz de te falar que mesmo com a queda da energia e todos os problemas que já conhecemos, a sua resenha ficou ótima!! E eu concordo com muito do que você falou, não achei o livro ruim, mas também não achei o livro espetacular, a Anastasia me estressou bastante com os monólogos dela, também acho que o livro podia ter passado por uma boa edição, bastante coisa ficou repetitiva, e isso fica claro no segundo livro. E sim, outras coisas poderiam ter sido mais bem explicadas, o livro podia ter o mesmo tamanho contanto que parte do conteúdo tivesse sido de explicações pra tantas perguntas que eu tinha hahaha O passado do Christian e a curiosidade pra ver com a Ana iria lidar com todas essas mudanças me fizeram continuar, e no geral é uma boa estória, espero que você goste dos próximos livros e Deus te dê paciência para as partes repetitivas hahaha Beijos!! http://www.trocandodisco.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelos elogios Fernanda ^^ Pois é, a parceria esse ano não rolou mas ano que vem a gente tenta de novo :)
      E pois é, é um livro que não precisava ter esse tamanho todo né? Acho que isso só colaborou pra sensação de falta de história e tal. Mass também estou curiosa como você ficou e algum dia provavelmente lerei a continuação, vi muita gente falando que a escrita da autora melhora nos livros seguintes :)
      Besos

      Excluir
  6. O layout novo ficou lindo e sei o quanto isso dá trabalho, estou trabalhando em um novo há duas semanas, acho. O seu ficou lindo, amei principalmente o background.
    Agora sobre 50 Tons: nem tenho muito o que falar. Você agüentou as 450 páginas e por isso já merece um prêmio. Eu mal passei do quinto capítulo e já desisti. Não gostei, não é meu tipo de leitura e a trama é bem decepcionante.
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando: livre-se você também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Celly! :D Ah, engraçado você elogiar o background porque é o mesmo do layout anterior, só dei uma clareada. Gosto muito dele também e acho que é bem versátil hehe.
      E really, não é todo mundo que tem estômago pra ler um livro que não está gostando. Já eu, mesmo que estivesse desgostando DEMAIS, detestando, ia acabar lendo tudo porque gosto de ir até o final mesmo com livros ruins, até pela questão de poder ter bastante o que falar deles depois.
      Besos

      Excluir
  7. Olha, eu tropeço do reto e no liso, então não julgo ninguém. E nem vou dizer que nasci com dois pés esquerdos porque sou canhota, então isso seria uma solução dos meus problemas, HASUHASHUAHUASHAU!

    Mas voltando à resenha, minha mãe tem a coleção e já me indicou pra ler, mas não tenho vontade nenhuma. Parece ser só uma fanfic porn mesmo, e eu leio coisa melhor em fanfic yaoi de kpop (tem umas boas, rapaz, eu recomendo!)
    Achei a resenha ótima, porque você realmente buscou os pontos fortes do livro, e achei que apesar de tudo isso deu uma neutralidade bacana (em vez de só dizer que ninguém devia ler e é uma porcaria, muito bom HAHAHAH!)

    Por fim, amei seu novo layout super clean ♥ Uma pena não ter tido a parceria com as editoras renovadas, mas bola pra frente e fé que no próximo ano dará certo! ♥

    Beeeijos Junny :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mujer, seus elogios são sempre muito bem-vindos e valorizados, obrigada :3 ♥ E pois é, no geral, não é um livro bom, não merece esse sucesso todo que tem feito, mas quis ser sincera com os pontos que foram responsáveis por eu não achar ele pior ainda e me ajudaram a continuar com a leitura. Na resenha de Crepúsculo, por exemplo, desci a lenha e falei mal DEMAIS hahaha, quer dizer que achei bem pior que Cinquenta Tons.
      Besos!

      Excluir
  8. Olá :)

    Acho que Cinquenta Tons de Cinza não foi bem entendido, na verdade. Nunca vi o livro como um livro erótico, mas como um livro psicológico. Trata sobre os problemas de Christian Grey e sobre como o amor irá curá-lo deles. Anastasia não é submissa em momento algum, ela é, na verdade, a dona da situação. Ela tem Christian Grey na palma de sua mão, apesar de parecer o contrário.
    É um livro para mentes inteligentes.
    Eu amo fanfics e acho que muitas são mais bem escritas que diversos livros que já li. E sobre Crepúsculo, temos opiniões divergentes.
    Adorei o layout, ficou bem clean e aconchegante.

    Beijocas,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bárbara :) Bom, não sei bem, se o livro fosse sobre os problemas de Christian Grey, ele deveria ser o personagem principal, a narração poderia ser feita sob o ponto de vista dele, talvez, e o mais importante, se falaria MAIS desses problemas. Achei que a autora abordou muito pouco disso no primeiro livro. E concordo que Ana tem poder sobre Christian também, quando lembro da cena em que ela termina, no fim do livro, e ele fica lá, arrasado. A descrição, naquela hora, chegou a me dar uma peninha dele.
      Agora quanto a ser um livro para mentes inteligentes, acho perigoso esse tipo de rótulo quando é sobre livros e leitores, pode existir muita gente inteligente, que lê outros livros pra "mentes inteligentes" e que não gostou especificamente de Cinquenta Tons.
      E ahh, você achou que eu não gostava de fics? Eu amo! Poxa, quando era mais nova o que eu mais fazia na internet era ler fanfics dos meus animes preferidos. Cheguei a escrever algumas também, inclusive tenho uma que deixei incompleta e preciso terminar hehe.
      E que bom que gostou do novo lay ^^
      Besos

      Excluir
  9. Oi, tudo bem?
    Primeiramente amei o novo lay! Ficou ótimo, bem simples e lindo!
    Quanto a resenha, acho complicado falar do livro. Primeiro achei a narrativa da autora bem comum, é fluida e bem simples, tanto que se lê o livro bem rápido. O problema todo pra mim foi a protagonista que é UM PORRE de chata, boba, ingênua demais pra idade dela, e muito sem sal. Fora a falta de noção da autora em certas situações que não são nada a ver e todo mundo sabe que nunca aconteceria. Há também o fato de que não é BDSM de verdade né, é um erótico, com uma ideia excitante mas que não envolve o real BDSM.
    E esses são todos os pontos negativos. Na verdade o único positivo (que talvez você entenda se ler a trilogia inteira) é o psciológico do Grey. Ele é um cara marcado pelo passado e o mais interessante do livro é acompanhar a "cura" dele e os meios que usa pra fugir dele.
    Enfim, acho que é um livro razoável, com pontos positivos e negativos, mas que pra mim só melhora nos dois últimos livros da trilogia.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa, obrigada pelos elogios sobre o lay :D
      Bom, o que você disse sobre o livro, eu concordo em gênero, número e grau. A escrita da autora é comum sim e boa até, nas partes em que há irônia ou alguma cena engraçadinha, foi o que me ajudou a continuar a leitura. E o problema todo é REALMENTE a Ana, que protagonista terrível. Concordo com tudo o que você falou sobre ela, as únicas partes em que ela não ficou insuportável, é, como falei, nas irônicas ou engraçadinhas.
      E também concordo que não houve BDSM no livro, não sei se pela autora que não soube colocar, ou foi de propósito ser bem leve e nos próximos livros ela intensificar mais o tema.
      E bem, a parte do psicológico do Christian foi o que me deixou curiosa pra ler os próximos (embora eu ache que ainda vá demorar muito)! Já deu pra notar que nesse ele melhora em alguma coisa, mas quero saber mais dos problemas do passado dele e o que vai acontecer, como ele vai evoluir e tal (e se a tonta da Ana vai aceitar as coisas que ele propôs).
      Besos!

      Excluir
  10. JUUUUUUUUUUUUUN!

    Eu mereço um tapa na cara e sim, estou comentando sobre agressão fisica em uma postagem sobre Cinquenta Tons hahahhahaa Enfim, só quero que você me perdoe por ter ficado tanto tempo afastada do mundo virtual e ter perdido de conferir na hora exata as atualizações maravilhosas do seu blog.

    Voltando ao assunto, eu já li a trilogia e concordo com tudo o que você disse sobre o primeiro livro. Ana é mesmo a pior narradora da face da Terra. E eu nem me incomodo com livros narrados em primeira pessoa, desde que a/o narrador/a seja bacana e a Ana definitivamente não é. O Christian eu confesso que passei a gostar só no segundo livro. É como você disse mesmo, é um livro (ou uma trilogia) para ser lido sem nenhuma expectativa e quando não tiver nada melhor para fazer, ou depois de ler dois livros muito densos ou complexos. E, de fato, não tinha necessidade dele ser tão grande hahahaha Eu contaria essa história em 200 páginas hahahhahaha

    Abraços <3
    PS: Ouvi alguém ai em cima falando sobre Belo Desastre e eu diria para você se arriscar na leitura. Sim, tem um certo personagem possessivo e tal, mas acho que prefiro ele a Cinquenta Tons. Enfim, é só minha opinião ;)

    ResponderExcluir

© KURONEKO - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | CRIADO POR YASMIN BERARDINELLI