Resenha: A Promessa do Tigre


I'm back! A resenha de hoje não era pra sair hoje, mas a esperta aqui, enquanto fotografava A Filha do Sangue (que era a resenha que deveria sair primeiro), tirou mil fotos e esqueceu de tirar da contracapa, que merece porque é muito linda. Então, pra não ficar aquele post enorme, vai ser um de cada vez, e aí passei A Promessa do Tigre na frente.

Editora: Arqueiro 
Páginas: 117
Nota: 
Antes da maldição, uma promessa. Mais de 300 anos antes de Kelsey surgir na vida de Ren e Kishan, houve outra jovem. Seu amor por um deles mudou o curso da história e o destino da família Rajaram. Criada longe dos olhos da corte, Yesubai luta para suportar os maus-tratos do pai Lokesh e esconder seus poderes. Ao completar 16 anos, ela é surpreendida por um anúncio do rei, que acredita que um casamento entre a filha do comandante de seu exército, e um pretendente de algum dos reinos vizinhos será uma boa estratégia para diminuir os conflitos na região. Então, pela primeira vez ela enxerga uma esperança, e a chance de poder ser livre de Lokesh e seu confinamento. Mas ele vê no casamento uma oportunidade para atingir seus objetivos sombrios. A Promessa do Tigre conta a origem dos acontecimentos que levaram às aventuras da aclamada série A maldição do Tigre.

 A Promessa do Tigre é um prequel, ou seja, uma prévia dos acontecimentos da saga dos Tigres. Se você ainda não a leu, pode ler que não tem spoilers nem nada, mas se você já leu e ama, A Promessa é leitura OBRIGATÓRIA e te fará ver muitas coisas com outros olhos. 
O livro conta a história de Yesubai, o primeiro amor de Ren e Kishan, por quem eles brigaram, e peça-chave para que fossem amaldiçoados. 
A gente sabe que ela era filha do surtado do Lokesh, o vilão mais megalomaníaco e cruel de que se tem notícia haha. Porém aqui, por ser pai dela, ele aparece muito mais, e vemos mais ainda como ele é louco, maligno, detestável e tudo o que se pode falar de ruim de alguém. A coitada Yesubai vive presa e sob vigilância constante, podendo contar apenas com a amizade de Isha, uma senhora que a cria desde bebê, quando sua mãe morreu no nascimento (e claro que na verdade a mãe foi morta por Lokesh). O que Lokesh não sabe é que, como ele, a filha também tem poderes, mas, espertinha, os esconde do pai. 
Então, quando Yesubai tem 16 anos, numa festa dada especialmente pra ela, é surpreendida por um anúncio do rei de seu reino, que pretende oferecê-la em casamento a outro pretendente importante, visando diminuir as guerras na região. Yesubai fica feliz com a notícia, pois é sua única chance de se livrar do domínio do pai e viver longe dele. Lokesh também não sabia disso, mas dá um jeito de obter vantagens para seus planos. Nessa festa, Yesubai vê Kishan de longe e se apaixona à primeira vista por ele, que não a vê e parece o único homem alheio e desinteressado no anúncio de casamento. Daí, depois disso Lokesh vai se aproximando do reino dos Rajaram, com o intuito de pegar os pedaços faltantes do Amuleto de Damon que estão com Kishan e Ren, sempre usando Yesubai em suas manobras. 


Minha opinião sobre ela, antes de que era uma garota fraca, falsa e manipulável, mudou bastante. Infelizmente aqui ela continua sendo vítima do pai, pois ele a chantageia constantemente, ameaçando sua amada Isha (a única pessoa no mundo que a tratou com amor e em quem pode confiar), de que se Yesubai não seguir fazendo tudo o que ele quer, Isha é quem sofrerá terrivelmente. Lokesh a ordena matar Ren (seu noivo), mas mesmo não o amando, ela teme pela vida dele. E após, ameaça a vida de Kishan, seu verdadeiro amor. O que fazer então?
Yesubai não tem muito para onde fugir, mas é esperta e sempre tenta contornar os planos do pai, mesmo sabendo que corre grandes riscos, não deixa de tentar agir. Sinceramente, a achei mais decidida e menos mimizenta que a chata da Kelsey. Além disso, Yesubai sabe das coisas, manja dos paranauê e é Team Kishan minha gente! \o/
Dá pra notar também que Ren passou a amá-la, mas era um amor não correspondido, pois muito antes de ser prometida em noivado a ele, ela conheceu Kishan e se apaixonou por ele de cara. Ele também se apaixonou por ela, e mais doce e romântico do que nos outros livros da Saga (pois ainda não tinha sido amaldiçoado), parecia disposto a qualquer coisa pra ficar com Yesubai. Eeee falando no nosso querido tigre de ébano, ele aparece muito nesse livro! Muito mais que o Ren, yay! E falando em Ren, se nos livros da saga parecia que era Kishan quem atrapalhava Ren e Kelsey, aqui fica claro que Ren é que atrapalha Yesubai e Kishan.

E o final, bem, infelizmente todo mundo que leu a saga sabe que Yesubai morre. Eu sinceramente esperava muito que acontecesse algo diferente, pois me afeiçoei muito a ela, pois mesmo sendo uma vítima das circunstâncias e do pai, acreditou e fez o que pode para salvar quem amava, achando que conseguiria. E o casal que ela forma com Kishan é lindo e dá muita pena pelo que acontece no fim e como acontece. Muita MESMO, enchi os zói d'água. 


Enfim, é um livro essencial pra quem ama a saga dos Tigres. Dá pra entender bem porquê Kishan era tão revoltado com a vida, e também sua grande briga com Ren. E dá pra ficar amando o Kishan mais ainda, se você sabe das coisas e também é Team Kishan hoho.  
A escrita de Colleen está, em muitos momentos, mais bonita e descritiva ainda, te fazendo imergir na história. Outra coisa legal é que os pais de Kishan e Ren aparecem muito mais. Adorei a minha sogrinha Deschen hahaha, muito mais legal do que como os Tigres a descreviam. E o livro é curtinho, 117 páginas só (e a Arqueiro manteve a edição linda com a capa metalizada e em alto relevo, e ainda usou um papel grossinho com um cheiro uma delícia haha, e que deixou o livro mais bonito ainda). Fora que a leitura e os acontecimentos te deixam presa, e num dia você leu tudo! Aliás, o único defeito do livro é que devia ser maior, sinceramente. Então, pra quem já é Tiger e pra quem pretende ser, LEIAM SSAPORRA!

Hastaa~

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. SAUDADES SEU BLOG JUNNY ♥
    Suas resenhas são ótimas, uma pena que não li nenhuma das séries. A seleção pra mim é tipo os livros da Harlequin, romance de banca, só que com capas mais bonitinhas. Já essa saga dos Tigres, tenho curiosidade, mas estou voltando a ler aos poucos - então vamos evitar séries por enquanto, sim? hahaha!
    Adorei suas fotos, tanto a disposição das coisas quanto a edição, ficou lindo Junny ♥ eu queria muito uma foto atual do seu quarto, porque sei que você andou decorando ele e deve ter ficado puro amor ♥ Me mostre u.u
    Beijo! <3
    shana { http://hishoku-sora.blogspot.com.br/ }

    ResponderExcluir
  2. Já li os três primeiros livros amei eles,pretendo terminar de ler a saga. Adorei a resenha,vc está de parabéns.

    ResponderExcluir

© KURONEKO - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | CRIADO POR YASMIN BERARDINELLI