Resenha dupla: A História do Ladrão de Corpos + Diário de Uma Paixão

Hoje a resenha é dupla! Prefiro fazer posts assim quando tenho mais de um livro pra resenhar, pois obrigatoriamente tenho que falar menos (coisa que é difícil pra mim em se tratando de resenhas...), e o post fica com mais conteúdo :D
Edit: esqueci completamente de falar que domingo passado, dia 27, fui pela terceira vez ao show da minha banda favorita, Eluveitie! Dessa vez por ser perto da minha cidade, o namorado acompanhou. Não quero ficar de delongas, melhor fazer um post sobre o show futuramente né :)

Autora: Anne Rice
Editora: Rocco
Páginas: 460
Nota:  ★★★★ 
Esta é uma história contemporânea, passada no final dos anos 80, inclusive no Rio de Janeiro. Depois de alcançar o sucesso durante sua curta carreira de cantor de rock, Lestat se enfronha no candomblé e espiritismo, pelas mãos de David Talbot, um amigo mortal que recusa sua oferta de sangue negro. Torturado por seu amor, suas dúvidas e sua solidão secular, Lestat sonha ser humano outra vez. Ver o sol, beber e comer como qualquer outra pessoa.  Porém, um desconhecido o persegue em vários lugares do mundo – Veneza, Hong Kong, Miami, Londres e Paris – e propõe a troca de seu corpo com o do vampiro. É a oportunidade de Lestat sentir as sensações de um mortal. É a chance de Raglan James experimentar os poderes de um imortal.  Mas uma coisa o perturba. E se o estranho não lhe devolver mais o corpo?



A expectativa de ler livros da Anne Rice é sempre muito gostosa. Muito tempo depois de ter lido A Rainha dos Condenados, decidi continuar a série Crônicas Vampirescas (é que tenho um problema sério com séries... Geralmente acompanhando mais de uma e querendo ler livros de volume único também, costumo demorar muito pra comprar a continuação, e vou alternando entre uma e outra).
ROCCO, WHY SEUS LIVROS SÃO TÃO CAROS?? Caramba, não lembro quanto paguei neste, mas foi cerca de quarenta reais. QUARENTA REAIS, NESTE PAÍS ONDE AS PESSOAS TRATAM LIVROS COMO ARTIGOS DE LUXO. JÁ VI QUE VOU FICAR FALIDA QUANDO COMEÇAR A COMPRAR A TRILOGIA BOUDICA DA BERTRAND BRASIL, ONDE CADA EXEMPLAR É MAIS DE CINQUENTA REAAAAAAAU. Ok, respira.

Vou tentar falar rapidamente desse livro: no começo ele é bem lentinho. Mas acho que a sequência, com o bandido e a velhinha, é pra que Lestat explique bem seus poderes e dons de vampiro e coisa e tal. A narrativa dele depois fica mais leve, e é uma delícia e super engraçada em certos momentos, primeiro porque: 1 - ele é MUITO convencido. A ponto de fazer uma autodescrição dessas:
"Cabelo louro caindo até os ombros, penetrantes olhos azuis, roupa extremamente elegante, um sorriso irresistível e um corpo bem-feito, com um metro e oitenta de altura que, a despeito dos seus duzentos anos de vida, parece o de um mortal de vinte anos."
Fora os outros trechos hilários também, principalmente quando a reviravolta do livro acontece. E 2 - porque às vezes ele se dirige direto para o leitor. Explicando, é porque o livro é narrado por ele, como se fosse REALMENTE um livro publicado, assim como O Vampiro Lestat e A Rainha dos Condenados. Um bom exemplo é numa certa parte onde ele fala que na rua as pessoas não costumam reconhecê-lo, mas duas leitoras conseguiram e ofereceram os pescoços pra que ele mordesse (eu seria uma dessas).
O ritmo do livro obviamente melhora, com as divagações sobre se ele deve aceitar fazer a troca de corpos ou não. Conversa com David Talbot longamente, visita Louis no casebre dele. LOUIS LOUIS OH LOUIS ♥ Na verdade o que ocorre é que sou muito fangirl e não consigo me decidir entre Lestat, Louis e Marius.
Mas então, obviamente Lestat se decide pela troca, e aí o esquema todo que vem depois é como ele reage no corpo novo, já que estava há séculos desacostumado a ser mortal. E essa é a MELHOR PARTE. Engraçada e viciante, porque ele reclama de TUDO, simplesmente tudo! De comer, de sentir dor, de fazer xixi, cocô, de suar, de sentir frio, de ficar doente, de não ser forte como antes, de não ser ágil... Vai tentando sobreviver como humano e vemos que ele não é de forma alguma mau como gosta de afirmar e tentar convencer aos outros e a si mesmo. E então ele descobre que Raglan James fugiu com seu corpo, e aí ele tentará recuperá-lo. Essa parte é legal também. Mas de vez em quando, como numa longa conversa com uma personagem que aparece, acho que a Anne Rice exagera na filosofia, parece que em TODO livro dela tem que ter uma divagação eterna sobre bem x mal, Deus x demônio, se Deus existe ou não e blá blá blá. Em um livro ou outro é legal, mas isso tem hora que cansa... Fico imaginando quando for ler Memnoch então... *boceja*
E aí depois que tudo acaba, ainda tem um capítulo à parte mostrando o destino de David Talbot. Eu não esperava por isso, porque quando li Merrick ele fala o que acontece, mas honestamente, eu nem lembrava. Quando li é LÓGICO que não gostei pois foi spoiler involuntário hauhahua, mas foi ótimo ter esquecido e levar um susto de novo hehe.
Resumindo: não é de forma alguma o MELHOR livro que li da Anne, mas foi muito bom lê-lo porque: é parte fundamental das Crônicas Vampirescas, e quem acompanha desde o primeiro livro, como eu, DEVE lê-lo   Porém nada impede que você leia ele separadamente, já que não conta uma história sequencial, como no 2° e 3° livros. Também vale ler pra conhecer mais a fundo Lestat, já que com as privações de um corpo mortal ele se mostra muito mais ao leitor. Sem falar no ritmo do livro, que depois fica muito bom, nos trechos engraçados do Lestat reclamando, xingando o Ladrão de Corpos e por aí vai. Fora, é lógico, a escrita sempre maravilhosa da Anne, poética, incisiva, ficou tosco mas definiria mais ou menos assim. 

Diário de Uma Paixão 
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Páginas: 244
Nota:  ★★★★ 
"Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou." Assim tem início uma das mais emocionantes e intensas histórias de amor que você lerá na vida... O livro é o retrato de uma relação rara e bela, que resistiu ao teste do tempo e das circunstâncias. Com um encanto que raramente é encontrado na literatura atual, O Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks, o consagra como um contador de histórias clássicas, com uma perspectiva excepcional sobre a mais importante e única emoção que nos mantém.




Minha mãe me disse que me ouviu chorando nessa madrugada por causa desse maldito livro. Na verdade fui terminá-lo só hoje à tarde, mas de madrugada já estava quase no fim e quando ele finalmente chegou foi lindo e terrível, impressionante, desolador, eu simplesmente não sabia o que pensar.
Tive conhecimento dessa história através da adaptação pra filme (coloquei algumas imagens de Tumblr dele bonitinhas aqui) que vi há muitos anos atrás, e nem sabia que existia livro. Anos depois, quando descobri, aproveitei aquela promo maravilhosa que a Novo Conceito fez ano passado, onde você comprava um livro e ganhava outro, e um deles foi O Diário de Uma Paixão - o outro foi O Céu Está em Todo Lugar (resenha aqui!). Então, o livro é SEMPRE melhor, mas pelo menos o filme (que foi bem desvirtuado em algumas coisas, diga-se...) todo mundo deveria assistir um dia.
Noah Calhoun e Allie Nelson se apaixonaram no verão de 1932, na cidade de Nova Berna, Carolina do Norte. Ela vai passar as férias lá com a família, mas é rica, e Noah, pobre. Vivem uma paixão juvenil intensa, mas os pais de Allie a proíbem do namoro pela diferença social. Ela vai embora, a mãe intercepta as cartas de Noah, e 14 anos depois, ela está de volta a Nova Berna. A menos de um mês de se casar com um ótimo homem, bem sucedido, ela volta atraída pela notícia da restauração da casa de fazenda com que Noah era encantado na juventude, e lá o encontra, morando na casa. Segundo ela, era pra que ele soubesse por ela mesma que iria se casar (aham, sei...), mas o que acaba acontecendo é que ela descobre que ele ainda era apaixonado por ela, e ela por ele. Mas comofas, já que ela também amava o noivo, Lon? Como escolher entre dois homens bons? E como fazer essa escolha sem machucar ninguém?
Mas bah, já é óbvio quem ela escolhe né? O que não dá pra saber é como e quando isso aconteceu, pois inicialmente não é relatado no livro.

Isso sim é biquíni! Que coisa linda esse top, usaria sem pensar.
O que nos é relatado é um velhinho, com mais de 80 anos, morando numa casa de repouso, e indo, não sem esforço e dor, encontrar com a mesma mulher todos os dias e ler pra ela uma história de amor linda e arrebatadora (odeio essa palavra, "arrebatadora", mas às vezes ela precisa ser usada), a história de Noah e Allie. Não vou contar o motivo, quem são e muito menos o que acontece depois (que é diferente do filme, pelo que me lembro, aliás, o filme tem um bocado de coisas diferentes desnecessárias, como toda adaptação de livro pra filme deve ter... Não sei porque ainda me irrito). O que posso dizer é como é linda essa história. Eu fico sem palavras pra falar dela. GENTE, VOCÊS NÃO TÃO ENTENDENDO, LEIAM ESSA PORRAAAAAAAA Ç______________Ç 
Ai Jesus. Como já disse aqui, histórias de velhinhos me emocionam. O amor de Noah e Allie é algo quase surreal. A devoção, a dedicação de um pelo outro, e como o amor resiste ao tempo, é tudo tão tocante, e também realista (já que a história foi inspirada nos avós da esposa do autor), e eu fico sem palavras de novo...


Esse foi o primeiro livro publicado do Nicholas Sparks, e eu realmente não imaginava, pois ele escreve MUITO bem (é mil vezes melhor que Querido John). As sutilezas, a poesia contida (gente, cada trecho LINDO, meu Deus), a história em si... Pode não ser complexa, difícil de entender ou cheia de reviravoltas, mas é simplicidade tão bem trabalhada dela que se destaca e te faz chorar desesperadamente no final. Não adianta pensar "calma, é só um livro", porque com certeza alguma história - de certa forma trágica - parecida com essa com certeza já aconteceu em algum lugar e em alguma época neste mundo, e só ter noção disso já te faz chorar também. ARGH.
Só tenho duas observações a fazer:
1 - A capa. É bem bonita e tal, mas gente, sou chata histórica, e em plena década de 30, as moças simplesmente NÃO USAVAM CABELO LONGO, ainda mais com o corte e penteado da moça da capa que representa a Allie. E a casa também, nada tem a ver com as casas de fazenda do sul dos EUA. Aloka, capistas da Novo Conceito, devem achar que uma googlada básica nas coisas da época em que se passa a história do livro vai amputar os dedos deles, incendiar a editora ou o quê? Fu, podia ter sido com a capa do filme, ficaria bem melhor. E falando em filme, agora quero vê-lo de novo, mesmo sendo infiel ;-;
2 - É impressão minha ou TODOS os livros do Nicholas Sparks precisam conter alguma desgraça no fim? Quer dizer, Diário de Uma Paixão não termina exatamente como uma desgraça, é um pouquinho (e de certa forma é e não é um final RUIM, sabe?), mas não de todo, como em Querido John (que me fez chorar litros também mas cujo filme não vi até hoje por saber que é MUITO diferente do livro - preciso tomar coragem pra ver esse troço) e Um Amor Para Recordar (cujo filme vi, achei lindo e no fim de Diário de Uma Paixão tinha o trechinho do começo - fiquei bem interessada, vou ver se compro futuramente). Alguém aí sabe de algum livro dele que NÃO TERMINA EM DESGRAÇA PELAMORDEDEUS? Não conheço todos e pelo menos dos mais novos, a sinopse não me interessou muito, então quem tiver lido qualquer um e puder falar, agradecerei, porque caso contrário vou ficar achando que esse homem quer uma tragédia das boas na vida dele, e por isso escreve essas desgraças. Ou melhor, simplesmente porque livros trágicos vendem mais e fazem mais sucesso? Acho que é mais óbvio, porque além de mim há outras milhões de trouxas que leram essa praga, adoraram e vão se lembrar desse livro pra sempre. Eu disse PRA SEMPRE, mesmo. Desafio VOCÊ, leitora do blog, a ler esse livro e não derramar UMA lágrima, no mínimo, e não ficar com essa história na cabeça e (explosão de breguice em 3...2...1...) no coração pra sempre. ♥ 







Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Marcos Antonio Pepe2 de fevereiro de 2013 16:19

    Nossa que filme triste rsrs, nem qero ver.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Jun *-*

    Bom, sobre as crônicas vampirescas, não imaginava que o ladrão de corpos fosse um livro nesse sentido huhsuhasuhasua
    Li o primeiro livro e depois um certo Stephen King me seduziu por uns tempos, por isso acabei empacando na série. Acho que vou retomar a leitura.

    Sobre o Diário de uma paixão (que tem esse nome por causa do filme, foi lançado no Brasil como "O caderno de Noah". Aí como não bombou e o filme é bem popular, resolveram trocar):

    Eu tenho um sério problema com o Nicholas Sparks. Eu sei que os livros são lindos, que tu chora horrores, mas sei lá, me dá preguiça ler esses livros românticos ~ mesmo que eu não tenha nada contra o gênero.

    Pra tu teres uma ideia, comprei recentemente 5 livros do Nicholas pra me forçar a ler. Promoção no Submarino e tals, paguei quase 60 "dilmas" com frete incluso - e não são edições econômicas, o que fez valer a pena. No box não vem o Diário de uma paixão, mas vem os outros que também viraram filmes ~ e agora tenho um livro com uma foto da Miley Cyrus na capa and I'm trying to deal with it. ¬¬

    Sério, não dá pra querer as capas dos livros do Nicholas. São praticamente iguais e com uma diagramação xumbrega. Tirando Querido John, todas elas são casais com rostos/testas colados. Criatividade passa longe.

    Vish, acho que exagerei no comentário, mas não pude evitar a verborragia kkk :3

    Beijos

    http://twbmwbrazil.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIM, CONTINUE CRÔNICAS VAMPIRESCAS! *____* O Vampiro Lestat é o MELHOR de todos os lidos até agora, garanto que não vai se arrepender.

      E ó, não sabia que o livro foi lançado aqui como "O Caderno de Noah"... Sei que nos EUA é só "The Notebook". E sim, foi o que eu disse no post, esses últimos dele não tô a fim de ler não, são boring demais pro meu gosto, acho que por mim fico só com os clássicos mesmo, como Diário, Querido John, e Um Amor Para Recordar, que quero ler.
      Mas ALOKA, comprar 5 livros do homem de uma vez, consigo até sentir o gosto amargo do seu arrependimento haha. Mas você nunca leu Diário? Se não, recomendo fortemente... Não sei como é sua preferência pra romances, mas impossível não ficar emocionada com ele ç_ç
      E UHEHAHUA livro com a Miley Cyrus na capa, que terror! Ele deve sofrer bullying dos outros da sua estante, com certeza haha. As capas dos livros do Nicholas aqui são o fim da picada mesmo. :x
      E bah, não tem problema verborragia ok? Adoro coments grandes :D E te respondi à altura hehe

      Excluir
    2. Huahsuasuashu, vou continuar as Crônicas :3

      Até agora não me arrependi de comprar os livros, apesar das capas cafonas, mas veremos, ainda há tempo kkkk

      E sim, meus livros tão fazendo bullying com o A última música (que tem a Miley na capa), tive que colocar uns livros entre ele e os das Crônicas de Gelo e Fogo, senão Daenerys ia tacar fogo com os dragões suahsuahsuha ~ ó as ideia.

      Valeu por retribuir o comentário lá no blog *-*. Você é sempre bem-vinda por lá ;)

      Beijos

      Excluir
  3. Já ouvi falar dos dois livros e deste então me sinto com vontade de ler os dois :/

    ResponderExcluir
  4. Acho que li Diário de uma paixão em um momento ruim, pois eu não senti tanta emoção :x Quero reler ele em outro momento, e quero assistir ao filme :)

    Quanto ao projeto fotográfico pense com carinho, você pode iniciá-lo a qualquer momento, e vai ser legal te acompanhar *--*

    Beijão :*

    ResponderExcluir
  5. Jun! Eu já te disse o quanto adoro teus posts? Sério, são tão bem humorados e sempre temos algumas opiniões semelhantes. Adoro!
    Bom, eu nunca li nada da Anne Rice (e você pode me julgar por isso rs) mas eu tenho muita vontade de ler "Entrevista com um vampiro" <3 Confesso que nessa resenha fiquei meio perdida porque não conheço essa história... Mas quanto a diário de uma paixão, eu sou daquele time que assistiu o filme e ficou morrendo de vontade de ler o livro mais até agora nada rs Acho o Ryan Gosling tão lindo <33 Ok, depois dessa sua resenha, eu tenho que comprar o livro *-*
    E a respeito da tendencia para desgraças Sparkianas (?), eu li "Um homem de sorte" e até que não é tão desastroso (só um tiquinho rs).

    ResponderExcluir
  6. Jun, teu blog é muito lindo!

    Eu li os quatro primeiros livros das Crônicas, mas li em ordem aleatória. Li primeiro "Entrevista...", depois "O Ladrão...", depois "A Rainha..." e só há umas semanas que li "... Lestat". Sabe, eu comprei "Entrevista" e "O Ladrão..." uns anos atrás no submarino por menos de R$17,00 cada. Aliás, tinha a coleção inteira das Crônicas Vampirescas por muito pouco, cada livro saía por cerca de R$15,00. Me arrependo até hoje por não ter comprado a coleção... Separados estão muito caros. :(

    Aff, perdi Eluveitie em Porto Alegre... T-T

    ;*

    ResponderExcluir
  7. Dois grandes autores.
    Confesso que já li mais coisas do Nicholas! ^^
    haha sobre o café, é bem isso mesmo, eu passo mal se tomar... é horrivel!! :(

    bom final de semana pra ti.

    ResponderExcluir

© KURONEKO - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | CRIADO POR YASMIN BERARDINELLI