Resenha tripla: Pandora, Sussurro e Os Segredos dos Gatos

Hey gente, voltei! Tirei férias do trabalho na quinta passada e desde domingo já estou aqui no Rio, na casa da minha tia em Copacabana, pra Bienal. Estou MUITO ansiosa pra ver a Anne Rice, me roendo. Pena que vai ser só às 18:00h, então vou passar todo o dia 7 em um estado de quase-agonia até chegar a hora haha, ai meu Deus, me sinto como se estivesse indo pro show do Eluveitie, OH MY FUCKING GOD. *respira...*
Mas pra aproveitar a estadia, já passei bastante e fiz compras ótimas (tanto compras normais como comida hoho), futuramente vou postá-las aqui. Não sei qual a sensação mais sublime: férias do trabalho ou da faculdade... O que vocês acham? |D
Hm, mas então, sobre o post, hoje é resenha louca tripla, escrita na semana passada pra poder andar rápido com os posts porque se não fosse assim teria váários atrasados mais ainda, e como A Hora das Bruxas II foi o melhor desses últimos 4 que eu li, vou deixar pra fazer uma resenha mais bonitinha depois e falar só dele. Então simbora pro primeiro!

Pandora - Anne Rice
Pandora é o primeiro livro da nova série de Crônicas Vampirescas de Anne Rice. Um presente para os fãs do estilo narrativo da escritora gótica que mais vende em todo o mundo. Seus personagens jogam estrategicamente com a sedução e esbanjam sagacidade, atravessando séculos de romantismo e mistério, numa luta dramática entre razão, prazer e paixão.






Pandora, apesar de legal, foi o livro menos legal que li da Anne Rice (porque acredito que com ela não exista livro ruim - só talvez aquele sobre o chato do Armand, hm). Ele começa num café no séc. XXI, com David Talbot já vampiro e no seu corpo trocado. Ele segue Pandora e pede a ela que escreva num caderno que ele lhe dá as memórias de sua vida de mais de 2000 anos. Ela, relutante a princípio, acaba descrevendo tudo o que se lembra, e com emoção cada vez mais forte já que para ela, escrever as lembranças é como vivê-las novamente. Ela conta sua vida na infância e adolescência como filha de um rico senador de (maldito) Roma. No círculo social de seu pai, ela conhece e se apaixona pelo liiiiiiiiiiindo do Marius (um dos meus vampiros preferidos *O*), ainda na sua forma mortal. Mas devido à traições e à manobras políticas da época, sua família é assassinada e ela foge para Antioquia. Então começa a ter sonhos frequentes com sangue jorrando e uma deusa, associada à Isis egípcia, da qual ela era sacerdotisa, gritando e clamando por ajuda. Denota-se que a tal fulana só pode ser Akasha. Busca sacerdotisas de Ísis para esclarecer seus pesadelos, e elas acabam encaminhando-a a Marius, já um vampiro poderoso. Passam então a viver juntos, com um grande e conturbado amor, pois Pandora é mais racional, enquanto Marius tende mais ao lado passional das coisas. Brigam muito, também pelo fato de Marius ser o guardião de Akasha e Enkil, os pais dos vampiros, e então Pandora, às vezes negligenciando Marius, faz com que ele vá embora sem ela saber. Se encontram ao longo da história, mas nunca mais ficam juntos definitivamente, apesar de, ao que parece, continuarem se amando.
Achei o começo meio parado, mas depois que ela se muda pra Antioquia fica melhor a narrativa. Marius é uma atração à parte, e eu acho uma fofura os dois juntos. As brigas, inclusive, têm cenas cômicas, e as vezes que ela tenta fazer sexo com ele mas já não dá porque vampiros não costumam ter libido pra isso (mas ela tem), e sim pro sangue. Mas esse final de eles se separarem achei trist, porque como já disse, os dois são fofos juntos E EU SEI QUE ELES SE AMAM, CONFESSE ANNE!!!!!!!!!!! D8
Nota: ★★★★ - Bom

"- Tem certeza de que não pode funcionar comigo na cama?
- Ah, acredite, eu já tentei! - confessou ele, tornando a corar.
Cerrei os punhos e bati em seu braço musculoso.
- Muito bem - falei."
Pandora para seu escravo recém-comprado, com quem desenvolve uma grande amizade, que, detalhe, era gay (algo muito comum em Roma e demais cidades nesse tempo).

"Os sonhos voltaram - aquela sensação profunda de estar paralisada dentro de algum santuário secreto no Egito, a alma engolida dentro de outro corpo!"

"Só agora eu via todo o deslumbramento de seu cabelo longo. Ele tinha muita coisa dos celtas (<3), que eram seus ancestrais. Seu cabelo batia no ombro. Da cor do trigo, tinha um brilho dourado e reluzente e era todo cacheado."

"(...)- Sua idiota inocente e desesperada! Restaurar os altares! Ah! Restaurar o culto! Ah! Você perdeu o juízo!
- Idiota! Você tem a ousadia de me insultar! Acha que trouxe uma escrava para casa? Nem sequer trouxe uma esposa. (...)
- Eu não pretendia usar insultos tolos! - disse ele. Estava aflito.
- Bem, então aguce essa sua maravilhosa racionalidade masculina e essa sua retórica pomposa e elegante - disse eu. (...)

"Acima de tudo, porém, vejo amor na própria composição do mundo, a qual ofusca toda forma de arte e não pode, por pura obra do acaso, ter acumulado tanta beleza.
         Amor. Mas de onde vem esse amor? Por que faz tanto segredo de sua fonte, esse amor que cria a chuva e as árvores e salpicou as estrelas lá no céu como os deuses e as deusas alegavam ter feito?"
Esse é um dos trechos, se não for O mais lindo do livro. É isso que gosto nos livros da Anne Rice. Poucos autores entram em pormenores filosóficos tão bonitos quanto os dela.


Sussurro - Becca Fitzpatrick


Nora Grey não queria entrar num relacionamento, mas seduzida pelos sorrisos e olhar de Patch, fica em dúvida. É quando uma sucessão de acontecimentos assustadores começa. Enquanto isso, Patch surge em todos os lugares e mostra que sabe absolutamente tudo sobre ela. É impossível decidir entre atirar-se nos braços dele ou fugir do perigo que o ronda. Na busca de respostas, Nora se aproxima de uma verdade ainda mais avassaladora que seus sentimentos por Patch. De repente, ela está no centro da eterna batalha travada entre anjos caídos e seres imortais - e a escolha errada poderá lhe custar a vida.

 Fiquei  numa ansiedade louca até poder ler esse livro, porque né? A fama o precede. E aquele começo narrado no séc. XVI também me seduziu. Mas não foi bem assim. Não entendi porque ele teve esse "boom" todo (mistérios, assim como Crepúsculo...). Não vou compará-lo com um livro tão ruim assim, mas não é o que eu pensava. O livro apesar de ter narrativa rápida, é meio parado e confuso em algumas cenas. Patch chega lá e pronto, Nora começa a ficar doida com ele. Achei até demorado isso, o que é ótimo num YA, já que todo mundo sijoga louca, mas ele é meio "anti-vilão" sedutor clichê, entendem? Se for assim, prefiro MIL VEZES o lindo do Sin, de Swoon. Mas Patch é simpático, e rende várias cenas engraçadas com Nora. E falando nela, fica no meio termo entre sonsa ou não, até que não é irritante nem nada assim, e suas descrições das cenas e tal são boas e engraçadinhas, isso faz a leitura ser rápida. Mas sua amiga, Vee Sky, ELA SIM é o fator FFFFFFFFFFUUUUUUU do livro todo, a começar pelo nome ridículo. Além de tudo é uma gurdinha assanhada e que AMA aparecer das piores maneiras, inconveniente e meio grossa, foi o que depreendi dela. Nunca teria uma menina dessa como amiga, por Deus.
E quando a perseguição no livro começa, Nora corre pra lá, corre pra cá, e essa é a parte mais chata. Mas a resposta pra ela é bem boa, eu nunca imaginaria aquilo (talvez seja porque sou sonsa, haha), mas o finalziinho em si é bobo e comum. Mas pela espessura do livro (259 págs.), podemos achar que é uma encheção de linguiça, chouriço e toda a sorte de embutidos. Só no final ele fica mais legal. Me cativou sim, mas pouquinho. Quero ler Crescendo porque tô curiosa, dar uma chance à história, que achei simpatiquinha, e ver se fica melhor, porque potencial pra isso ela até tem, viu.
Nota: ★★★★★ -Bom. Nem um escândalo e não tão ruim também.

"- Também está com um perfume gostoso - disse Patch.
- Chama-se chuveiro. - Eu estava com o olhar fixo para a frente. Como ele não respondeu, virei-me de lado. - Sabão. Xampu. Água quente.
- Nua. Sei como é.
Abri a boca para mudar de assunto quando o sinal me interrompeu."

"- O dever de casa foi uma dureza não é?
Ele estava rindo da minha cara.
- Não peguei no dever.
O sorriso dele era o de uma raposa.
- Então em quem você pegou?"

"Vee olhou em volta e limpou a garganta.
- O que foi? - perguntei.
Ela ergueu as mãos.
- Nada. Nada mesmo. Se você ainda quer botar a culpa disso no Elliot... é um direito seu. Um direito maluco, mas, puxa vida, é um direito seu."


Os Segredos dos Gatos: Tudo para entender e ensinar seu companheiro - Alexandre Rossi e Paula Itikawa
Dóceis e carinhosos, individualistas e companheiros, ariscos e brincalhões, independentes e domesticáveis; é difícil definir as características dos gatos. Criar mitos sobre eles, no entanto, parece fácil. Porém, no livro, ilustrado, o comportamento do animal é desmitificado. O leitor descobre que através da postura e vocalização do gato é possível entender o que ele quer dizer, e que existe a linguagem aprendida e a instintiva. Já a vida social dos gatos - as "reuniões com amigos" à noite e a vida sexual, particularmente interessantes - demonstram que os gatos são afetuosos e amáveis. Eles se apegam aos donos, procuram carinho e o demonstram, mas também sabem ficar sozinhos.


Sou a louca de muitas coisas, mas principalmente sou a louca dos gatos. *_* Em casa só tenho duas, mas se pudesse teria mais (e ainda fico agarrando os do meu namorado, hoho). E é aí que surgiu a vontade de louca de comprar esse livro - mas primeiro sobrevivi ao ataque de kawaiizice depois de ver a capa. O livro é facílimo de ler, engraçado e realmente interessante. Bom mesmo e recomendadíssimo pra quem gosta de gatos. O autor, Alexandre Rossi é o vulgo Dr. Pet, famoso pelos adestramentos na televisão, e mostra que até os próprios gatos podem sim ser adestrados.  Duvida? Veja esse vídeo aqui, mostrando as técnicas do livro. Mas o mais legal não é propriamente o adestramento, e sim as partes que explicam a vida social e o comportamento psicológico do gato. Tem gente imbecil que acha que gato é não segue ordens porque é mau, egoísta, individualista e tal, mas não é bem assim. O livro mostra que os ancestrais dos cães, ao contrário dos dos gatos, sempre precisaram viver em bando pra sobreviver e ter comida, então pra eles foi e é muito mais fácil seguir ordens, até dos donos. Já os ancestrais dos gatos não eram animais que andavam em bando, e sim independentes, então nunca precisaram de ninguém que lhes garantisse a sobrevivência ou a comida, daí não seguirem ordens com tanta facilidade e terem esse comportamento menos dependente do dono.
Além disso, o livro dá todas as instruções pra se cuidar de um gato velhinho (como é o caso da minha primeira gata, a sra. Catita X3), como fazer a adaptação do gato a casas e ambientes novos (já que são animais muito territorialistas), a como se acostumar com cachorros, outros animais, outros gatos etc. Ensina também como repreender no bichano aqueles comportamentos típicos mas que não gostamos, como mijar nos lugares, arranhar alguns móveis, subir em lugares da casa que não se deve, etc. A parte sobre doenças comuns também é esclarecedora, assim como uma das mais legais, sobre os donos dos gatos! Isso mesmo, um estudo foi realizado e foi comprovado que há pelo menos 6 tipos de donos de gatos. Eu me encaixei em 2~3 grupos destes, e é incrível a precisão das descrições. Outra coisa fofa e que deu um toque a mais no livro são as ilustrações em algumas páginas, de acordo com o assunto, em estilo mangá! X3 Gente, gato já é tudo de bom, mas em forma de mangá então... Sem coments possíveis! Livro recomendadíssimo, para os gatólatras como eu e também pra quem quer entender mais ou pretende ter um desses bichos lindos e únicos. UwU~
Nota: ★★★★★ - Excelente! Leia esse livro e seu conhecimento sobre gatos aumentará muitomuitomuito! *-*


"Acredita-se que o gato doméstico adulto seja mais sociável que o felino selvagem adulto por manter comportamentos de filhote de felino selvagem, como ronronar e movimentar as patas como se estivesse mamando."

"A maneira como a mãe reage na presença de estranhos influencia o comportamento dos filhotes. Se ela foi bem sociabilizada, sua influência tende a ser positiva."

 "Donos de gatos acreditam serem mais emotivos, mais afetuosos, mais generosos, mais tolerantes, mais criativos e menos solitários do que as pessoas que não possuem gato."


 Então é isso, fico por aqui. Vejo vocês na Bienal, quem for! :D

                                                                                                                         

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Oi Jun!!!

    Sobre seu comentário no Sugar: Hehe - Eu consigo escrever de formas diferentes, pois isso faz parte da função do jornalista - adequar a linguagem ao público que pretende atingir. No TWBMW também tem posts sobre livros, filmes e música - Só que de um jeito um pouco mais debochado. Obrigada por seguir os dois!!! Sobre os celtas (de novo, rs): adoro-os!!!! Meu sonho é é estudar na Irlanda - depois que terminar minha faculdade por aqui. Tipo: Eu + cultura celta = *O* ♥♥♥

    Sobre o post de hoje aqui no Kuroneko: Eu bem que gostaria de estar na bienal (chora), adoro os livros da Anne.

    Amei suas resenhas - são sinceras e divertidas de ler. Não li nenhum dos três livros, mas pretendo ler o da Anne e o dos gatos - não sei, mas esse 'sussurro' não me atrai, parece ser muito similar ao tipo de literatura fantástica que anda saindo por aí.

    Enfim, era só isso (como se esse comentário não fosse gigante, kkk)

    Beijão :*

    http://twbmwbrazil.blogspot.com/
    http://itsnotbitter.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Mais três livros para minha listinha de compras *--* Pelo que li, acho que vou adorar Pandora hehe beeeijo

    ResponderExcluir
  3. É, de todos eu leria o da Anne Rice, isso porque só li um livro dela até agora e preciso de mais leituras pra me tornar uma fã de verdade hehehe xD ain sobre o de gatos eu fico com um aperto no coração, porque eu AMOOOOOOOOO gatos mas não tenho, tenho um shitsu, portanto teria que comprar um livro sobre cachorros - e olha que ele tá precisando, principalmente sobre como ensinar o seu cachorro a não subir na perna dos outros e nem ficar louco quando tem visitante em casa, mas ele é muuuuuito fofinho! Eu já tive um gato quando tinha 13 anos, peguei ele na rua e ele estava adulto já, fugiu logo T_T quando morava com a minha mãe também nós tentamos ter um, ele era um neném muito fofinho chamado Sid e já veio castrado, estava até com os pontinhos (foi doação!) mas os olhos da minha mãe começaram a inchar (ela tem alergia) e tivemos que devolver i.i todo mundo chorou nesse dia - agora ela já arranjou uma cadela e está mais feliz.
    Falando nisso, morra como eu:
    Memebon (famoso!) http://www.postmania.org/wp-content/uploads/2008/04/gato-mais-fofo-do-mundo.jpg
    Coisa apertável: http://palavradecrianca.files.wordpress.com/2011/03/gato_fofo1.jpg

    ResponderExcluir
  4. Eu quero muito ler sussurro mas depois da tua resenha desanimei um pouquinho OAKOSLAPS Mesmo assim vou ler pra conferir né? Ah, Jun! Que inveja de você que ta de férias e ainda vai pra bienal *-* Traga uns marcadores para mim OAKOSLAPS brincadeira
    Te citei (again) na meu video resenha de "O Céu está em todo lugar"! ♥

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  5. Eu amei o seu blog *--*
    o template é LINDO e gostei doos seus textos, achei eles simplesmente incríveis, já estou te seguindo *--* me segue também ? ♥

    http://thayshafer.blogspot.com/

    --
    Quer um lugar onde possa divulgar o seu blog ?
    então junte-se a nós em nossa comunidade de Perfis de Divulgação de Blogs ♥

    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=114529010

    ResponderExcluir
  6. Gostei das resenhas, Jun! Ainda não sei se leio Sussurro ou não. Mas enfim.

    E respondendo ao comentário que você deixou no meu blog, em número de habitantes o seu buraco ganha. Minha cidade tem 76 mil, só que aqui é tudo muito espalhado, grande parte das pessoas está na área rural. Se for pra considerar só o centro da cidade e os principais bairros, dá bem menos. O problema é que aqui o povo é chato, então são poucas as pessoas que curtem animê e coisas do gênero.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. "Mas esse final de eles se separarem achei trist" muito bacana a senhorita soltando spoilers do livro!!! -.-'
    Huahauhauahuah, eu comprei e sei lá quando vou lê-lo.. tenho vários livros da Anne, que aliás, soube que só podia autografar UM MÍSERO LIVRO da autora!! -.-'
    #sacanagem
    Depois quero saber como foi!!! Huhuhuhuh!

    Eu AMEI Sussurro, achei lindo, mara! Foi o primeiro livro de Anjos Caídos que li!! =)
    Vai ler Crescendo né?? É MUITO BOM!!

    Beijos! ;*

    ResponderExcluir
  8. Tenho um pequeno problema com Anne Rice: venero, mas não consigo de jeito nenhum terminar o Rainha dos Condenados. Durmo, canso, paro. Não vai! Eta livrinho difícil de fluir. Adorei as resenhas.. e to curiosa com o pandora. =)

    ResponderExcluir
  9. Oi oi!

    Obrigada por visitar o Word in my bag! *-* Adorei seu blog e ja estou seguindo.x3
    Por hora eu só li A Hora Das bruxas, mas já comecei a comprar as crônicas vamprirescas, inclusive ganhei Pandora um dia desses, xD.

    Eu não conhecia esse livros dos gatos que você resenhou aqui *-*.
    Nice, nice... adorei as 3 resenhas. <3


    Beijos,

    Samantha Monteiro
    Word in my bag.
    http://wordinmybag.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Me interessei muito pelo dos gatos e tô querendo ler esse Sussurro tbm, mas não tô com muitas expectativas não auhaihasuhasa
    Também estava no rio na primeira semana da Bienal, mas não consegui ir =(((
    Beijos querida
    Bruna
    http://desbravandohistorias.com.br

    ResponderExcluir
  11. Quero muito ler "Sussurro", já vi tanta gente comentando bem, e agora você é mais uma da lista.

    Já li alguns livros da Anne Rice, agora estou ansiosa para ter um dessa série em minhas mãos.

    E o terceiro só digo: GATOS! *_______________*

    p.s: awn, queria ir na Bienal :(

    ResponderExcluir
  12. Quero muito ler algo da Ane Rice . Susurro eu ouço falar muito bem ,o que faz aumentar ainda mais a minha vontade de lê-lo.
    Também sou uma louca varrida por gatos :B

    p.s: Te indiquei um meme, vê lá no meu blog :)

    :*

    ResponderExcluir

© KURONEKO - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | CRIADO POR YASMIN BERARDINELLI