Resenha: A Garota da Terra do Vento



Sinopse: Nihal, uma menina que quer ser "guerreiro", e não sabe que é a única sobrevivente da devastação imposta pelo Tirano à raça de semi-elfos, vê sua pacata vida com o pai ser bruscamente interrompida quando o exército do Tirano, que já domina metade do Mundo Emerso, invade, pilha e destrói sua cidade, matando seu pai. Agora, em busca de vingança e honra, ela incumbe a si mesma a missão de, de alguma forma destruir o Tirano e libertar o Mundo Emerso.




Well, estou aqui após 1 semana do lançamento do primeiro post, e orgulhosa de não ter enrolado. Bem, esta é a primeira resenha escrita especialmente para o blog, que foi feita antes mesmo de eu estreá-lo, mas já pensando em postar aqui. Não é uma resenha propriamente dita devido ao formato em que escrevi, tinha até utilizado o termo "review", mas esse vai ficar pra filmes, seriados, animes etc, então pensei que pra livros, "resenha" é o mais correto, mesmo que eu não escreva uma propriamente dita. Espero que gostem :D
Em livros de gênero épico, fantasia e adjacências, percebi que há uma polêmica, porque inevitavelmente qualquer um que tenha qualquer elemento fantástico e se situe um pouquiiinho à margem do tempo será comparado, sem dó nem piedade, a qualquer um dos livros do Prof. Tolkien. Já digo que é absurdo porque os livros dele são incomparáveis, e de qualquer forma, dar crédito pra quem abre seu caminho de forma criativa nessa turma de escritores de fantasia é sempre bom.
Foi o que fiz com a italiana Licia Troisi e seu Crônicas do Mundo Emerso - A Garota da Terra do Vento. Mas isso enquanto o lia. Comprei ano passado no Submarino, e como livros meus quase nunca furam fila, só consegui lê-lo por agora. Amigos rpgistas meus disseram ter comprado e não conseguido chegar à metade, o que me deixou no máximo curiosa pra saber como era.
E, felizmente superando, e MUITO, minhas curiosas expectativas, fiz a típica listinha, não com os motivos pelos quais você TEM QUE ler, mas com algumas qualidades do livro que valem a pena.

1 - A narração é uma mistura de seriedade com ironia, bem curiosa. Em certas passagens do livro há cenas bem cômicas, e em outras, a narração é tão bonita - digo bonita mesmo, pelo jeito como Licia usou as palavras -, é aquela escrita que você lê, lê de novo, imagina a cena, afunda nos sentimentos dos personagens, no pôr do sol na ravina ou do alto da torre de Salazar, ou nas costas de um dragão voando... E depois pensa que a cena escrita de forma melhor que essa é quase impossível.
1.5 - O drama em que Nihal vive não é mole - te faz pensar o tempo todo o que você faria, o que sentiria numa situação dessas. Eu adoro me colocar no lugar dos personagens nos livros, e a história dela é de doer. :<

2 - Estranhei também, no começo, os diálogos em 2ª pessoa do singular: tu estás, tu deves etc. Mas à medida que você se acostuma, eles até embelezam a narrativa, dão um charme mesmo. Acho até de uma coerência lógica escrever um livro de fantasia épica meio medieval como esse, com esse tipo de diálogo, e não com o costumeiro "você".

3 - Nihal, e seu cabelo azul. °-° Na capa do livro você já vê uma garota mal-encarada de cabelos azuis. Mas pra mim foi MUITO legal ter uma protagonista de aventura épica - mulher -, e ainda com cabelos azuis, é lindo! 8D *lado otaku pulando* E não só por isso. Ela é muito corajosa, esperta, forte e toda sorte de fuck yeahs que você puder imaginar. No sentido de ser teimosa e em outras facetas, me identifiquei bastante com ela. Mas também é bem cabeça dura às vezes. Dá vontade de entrar no livro e dar uns tabefes nela pra ver se toma juízo, pqp! D: Mas no final, ela acaba dando orgulho pra quem lê e torce por ela mas não sabe o que vai acontecer.

4 - Falando em não saber o que vai acontecer, esse é outro fator positivo timaais. O livro não cansa: os capítulos não são muito longos (nenhum tem nem perto de 20 páginas, por exemplo), e a narrativa quase sempre muda de cena com bastante rapidez. Isso dá aquela vontade de ler sem parar pra saber o que vai acontecer e não cansa, daí quando você viu, já leu um pedaço bem bom.

5 - Senar <3 Olha, Fen é uma gracinha, mas com o Senar, mago e amigo da Nihal, não tem pra ninguém. Na primeira aparição dele, você nem imagina quem é, e depois quando ele aparece de novo, você não imaginava que seria daquele modo. Não, não é aquele cara estilo badboy que conquista a mocinha. Ele é bom sem esconder isso de ninguém, mas sábio, forte, brincalhão, esperto, companheiro... Sabe o melhor amigo que vira namorado ou vice-versa? Pois é. E, pra arrebatar o coração da leitora de vez: ele é ruivo.

6 - Senar e Nihal. Porque fica naquela indecisão, naquele vai não vai, naquele chove não molha, eles muito amigos e pá pum, depois acontece uma coisa, depois acontece outra pior ainda que te faz pensar que vai acontecer uma outra... O final, lógico que não conto, mas me deixou doooida de ansiedade! 8<


7 - Por último, mas não menos importante, o fato de que Nihal é mulher, empunha uma espada como ninguém e é determinada pra perseguir seu objetivo. Qualquer mocinho poderia estar inserido nesse contexto, mas com a Nihal fica bem melhor porque além de lógico, deixar a história mais legal, acho que essa primeira trilogia de Crônicas do Mundo Emerso veio pra sapatear de vez em cima da mesmice de só garotos e rapazes serem OS  escolhidos, OS destemidos, OS corajosos. Nihal, apesar de seus momentos de fraqueza, porque ela não é perfeita (e isso é outra qualidade na história) é MUITO FUCK YEAH e bota esses mocinhos todos no chinelo! Lendo esse livro a gente vê que uma aventura épica em uma terra fantástica é muito mais que só pé na porta e soco na cara - afinal, os personagens têm vida, sentimentos e não é o que alguns livros desse gênero queriam fazer parecer. Logo, já estava na hora de chegar alguém pra quebrar essa hegemonia de porradaria e testosterona nos livros de fantasia.

Pode quebrar tudo Nihal, hoje é por conta da casa! :)

Defeitos: achei meio infantil o conceito de "duende" proposto pela autora, até porque, pra mim, duende NÃO É o "macho" de fada, duende é duende e fada é fada. Duendes não têm asas. D: E os fâmins, já que sempre tem que haver o "exército de criaturas estranhas a mando do vilão", ou pseudo-orcs, etc, os achei meio bobos, assim como o nome.

A capa, apesar de olhares desatentos acharem meio "estranha" pela roupa da Nihal (ok, também não achei top do traje muito bonito não), é uma ilustração e tanto. Futuramente vou fazer um post aqui só com as artes da capa e o responsável por elas. O 2° volume dessa primeira trilogia sobre o Mundo Emerso, que é o A Missão de Senar, não comprei ainda, mas lógico, tá na lista de livros futuros. A terceira é O Talismã do Poder.

Sobre a autora: Licia Troisi

Acho que é legal saber sobre o autor de um livro bom, logo, sempre que achar boas informações, coloco junto com a primeira review do livro. Se o autor for muuuito famoso, não sei se vai precisar né.

Então, Licia Troisi é uma italiana que nasceu em Roma no dia 25 de novembro e tem 30 anos. Lançou a série Crônicas do Mundo Emerso com 24 anos, e antes disso já era fã de animes e mangás (yay, já sabia!), tendo começado a escrevê-la com 21 anos. Licia, pasmem, é FORMADA EM FÍSICA com especialização em astrofísica... GENTE, acho que sairia da faculdade de Física diretinho pro sanatório, JURO. Licia está grávida, e o último volume da terceira trilogia de Crônicas do Mundo Emerso, Os Últimos Heróis, saiu aqui no Brasil em novembro de 2010.

Ps.: terminei hoje As Bruxas Mayfair - A Hora das Bruxas I e achei maravilhoso, como sempre com os livros da Anne Rice, em breve sai review dele aqui. ;)

Sobre o livro:
 Nota: ★★★★ - Muito bom, vale a pena 
 Onde encontrar: Comprei o meu por R$ 9,90 no Submarino, mas a edição é daquelas que não tem orelha, então é enjoado pra carregar e tem que tomar muito cuidado pras pontinhas não ficarem todas arreganhadas. Dessa edição parece que não tem mais, mas no Submarino mesmo tem, e deve ser da edição normal, por R$ 26,91. A
                                                                                                                         

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Oi, Jun! A Garota da Terra do Vento parece ser bem legal. Fica a dica. Obrigado!

    Convido para que leia e comente o Armelau no http://jefhcardoso.blogspot.com/

    “Que a escrita me sirva como arma contra o silêncio em vida, pois terei a morte inteira para silenciar um dia” (Jefhcardoso)

    ResponderExcluir
  2. Puxa, seu blog é lindo!
    Nunca fui boa para mexer em layouts clássicos do blogger, mas tambem, nunca corri muito atrás não :~

    O livro parece ser legal...
    "Nihal, uma menina que quer ser "guerreiro","
    me lembrou vagamente Mulan OIHOIDHSODS amo aquilo lá ♥.♥

    ResponderExcluir
  3. Olá Jun *-*

    Pois é, la na receita você pode variar as frutas. Eu também não sou muito chegada em ameixa, mas assim da pra comer :)
    Seu blog é muito bacana,e o livro parece ser muito bom mesmo.
    E sim, fiquei feliz com a sua visita e sempre que quiser, é só ficar a vontade para deixar sua opinião por lá!

    Desculpa se o comentário ficou grandinho rsrs

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha!
    Minha prima ama essa série, eu ainda não li, mas estou com vontade, principalmente agora xD
    E, wow, a autora nasceu no mesmo dia q eu O.o
    Adorei seu blog, fui procurar ele outro dia com a url do "real kuroneko" e apareceu aquele bagulho de "esse blog foi removido", eu fiquei tipo "HÃ?"; agora entendi o q aconteceu, espero q ele dure muito mesmo!
    Que bom q vc gostou da minha lista estranha (tb tenho MEDO do clipe do Sandy e Júnior! hahaha) e valeu mesmo por comentar *-*
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Jun, obrigado por sua gentil atenção ao meu blog!

    Acabo de postar a nova de Armelau [sorrio]. Que tal? [sorrio]

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler os livros da Licia Troisi! Tempo e dinheiro que é bom que nada... HOIAUEHOAUIE.

    Gostei do blog!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Também adorei A Garota da Terra do Vento - encontrei todos os três volumes na biblioteca da minha cidade *-* Fiquei um pouquinho decepcionada porque os outros dois não são em segunda pessoas, e eu já estava acostumada e até gostando, mas mudaram isso.
    Amei o jeito como vc falou da Nihal, HUHASIUH Ela é tudo isso mesmo, e fica MELHOR ainda, sem dúvidas, uma das minha heroínas preferidas. E o Senar então, de matar a gente do coração, de tão fofo. Sou super apaixonada por ele e seus cachos ruivos *-*
    Não sei se vc já leus os outros volumes, mas leia, porque são incríveis! O terceiro, então ♥
    Adorei a resenha, adorei mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lorraine :D Adoro quando as pessoas comentam em posts antigos haha, obrigada! Bem, embora esteja mega ansiosa e amar muito essa série, eu ainda não li A Missão de Senar porque infelizmente estava muito difícil de achar, até pela internet, não sei que diabos a Rocco pensa em não publicar ou distribuir os livros direito (ou colocar esse preço absurdíssimo neles, isso também dificulta! :s) ¬¬ Maas já está quase na hora de comprar, porque quando é uma série e eu acompanho várias, leio o primeiro de uma, o de outra e só muito tempo depois volto a ela, shame on me mas é uma maneira mais ou menos eficaz de acompanhar várias, mesmo que atrasadamente huauha!

      Excluir

© KURONEKO - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | CRIADO POR YASMIN BERARDINELLI