Resenha: A Hora das Bruxas I

Sinopse: Em A Hora das Bruxas I, conhecemos a saga da família Mayfair, que há séculos vive entre feitiçaria e forças ocultas. É uma dinastia de bruxas que cresceu e prosperou dedicando-se à magia negra. Entre os Mayfair, convive-se pacificamente com o incesto, assassinatos e com o espírito meio divindade celta, meio demônio, chamado Lasher. O romance se desenrola cronologicamente para frente e para trás, passando por Nova Orleans e São Francisco atuais e deslocando-se até o Haiti ou a um castelo na França de Luis XIV. As bruxas daqui  são mulheres perversas, disfarçadas pela beleza. Para elas, a bruxaria é a ciência mais confiável. Pelos grossos arquivos ocultos da Talamasca, a história desses seres decadentes se revela. 

Pois é, esse post foi programado pra ir ao ar enquanto eu estivesse no Night of Shadows (e estranhamente ele não funfou), mas não pude ir porque o caríssimo namorado estava passando mal. Uma amiga do trabalho disse que talvez  fosse por causa do namorado dela, e um outro amigo meu iria com amigos deles, mas eu não quis ir com ninguém porque SABIA que ia ficar meio no vácuo. Mas não foi tão ruim não ir no final das contas, comi pizza com a mamma, agora passei a noite toda na net, não gastei dinheiro e nem cansei ou tô com o pescoço doendo de tanto banguear. E, depois do épico show do Eluveitie no começo do ano, não fico deprimida com show nenhum, eu disse NENHUM, que eu perder. :] Mas enfim, vamos à resenha.

Olha colegues, eu não sei porque ainda acho que posso esperar algo dos livros da Anne Rice. Esperar algo "normal", na linha de outras coisas dela que eu já li, se é que vocês me entendem. É até complicado estrear essa resenha quando ela não é do primeiro livro da Anne que eu leio, mas falarei dos outros que já li dela futuramente. Então, WHY esperar algo não tão bombástico, não tão tenso e aloka? Achar que vou ler algo "normal" dela foi um erro. Na verdade, a cada livro que leio ela me surpreende. Mas com esse foi DEMAIS. Demais da conta, Anne Rice, você vai me deixar maluca daqui a pouco. :< Não que eu não goste disso - não de ser maluca -, dos livros dela me surpreenderem, ela tá rapidamente ocupando seu posto no meu top 5 de escritores favoritos.
Pois então, a questão é que o começo do livro é um pouquinho parado. Não chega a ser chato, é só paradão mesmo. A história muda de personagens toda hora, como observadores da casa de First Street em New Orleans, onde os Mayfair moram: uma hora é o médico que cuida de Deirdre, a Mayfair que está num estado catatônico, quase vegetativo, não se sabe direito porquê; o padre que já ouviu confissões medonhas dela e relatos aterrorizantes de sua mãe e sua avó, e assim por diante, até chegar em São Francisco. Michael Curry é um homem que passou por uma experiência de quase morte no mar, e quando volta à vida trazido por uma mulher misteriosa, volta com a sensação de que seres superiores lhe confiaram uma missão, e com a psicometria, que é o poder de tocar os objetos e enxergar a história deles, quem os tocou primeiro, como foram parar ali e assim por diante. Michael, que quando criança morava em New Orleans, se tranca em casa, e fica com uma obssessão por conhecer a mulher que lhe trouxe de volta à vida. Ela é procurada pelo médico de Michael, e eles então se conhecem. Rowan Mayfair é o seu nome, e ela é filha de Deirdre Mayfair, mas nem conhece a mãe. É possuidora de grandes poderes paranormais, sendo capaz de matar alguém com sua raiva. Se aceitar o legado Mayfair, pode ser uma das bruxas mais poderosas, ou talvez A mais poderosa, que a família já teve. Michael e Rowan se apaixonam e, entre cenas tórridas (e booota tórridas nisso, o negócio é KENT mesmo, já aviso), conversam sobre suas vidas e o incidente que os ligou.

Aaron Lightner, outro personagem fundamental nessa história, é membro da Talamasca. Está sempre por perto de Michael ou Rowan, e com Michael conversa sobre um rapaz bonito, de cabelos castanhos e alto, que Michael sempre via quando criança nos jardins da casa dos Mayfair. Pelos arquivos da Talamasca, Michael conhece então a história da família, de todas as bruxas que herdaram o legado da família, o que inclui Lasher, esse espírito, e a famosa esmeralda Mayfair. A história começa no séc. XVII em Donnelaith, na Escócia, e de lá passa para Amsterdam, França, Haiti e finalmente Louisiana, nos EUA.

Como já disse, devo imaginar que Anne Rice estava MUITO tarada (haha, q?) quando escreveu o livro, porque as cenas de sexo são mais do que eu esperava. Ela as escreve muito bem, isso eu admito, e até a "tensão sexual" (odeio esse termo) é detalhada até demais, hehe. Outra coisa que está ligada a isso é o incesto que corre solto pela história toda. Não vou falar com quem ele acontece nem nada, mas é entre irmãos e mais um monte de parentes. Juro que quando li na contracapa "convivem pacificamente com o incesto" não imaginava, de forma alguma, que era TANTO assim. Em anime e mangá incesto entre irmãos acho até bonitinho (sim! :< Tem gente que gosta de yaoi ou yuri, eu gosto de incesto u-u), mas entre outros parentes acho tenso. De qualquer forma, Anne Rice escrevendo isso não significa que ela concorde ou não, e não cabe a mim julgar, mas no livro tem isso porque é necessário pra história, pro contexto, pra entendermos como os Mayfair são sinistros mesmo e como Lasher os influencia. Ele, aliás, é um encosto duzinferno lindo e sedutor, haha. Muito poderoso também, mas o preço por ele ser servo da bruxa Mayfair que aceita o legado, às vezes, sai caro, pois ele muitas vezes interpreta os pensamentos de sua "dona" atual do modo que lhe convém.

Outra coisa legal é que essa mulher também ama os celtas, porra! <3 Ela já gosta de ocultismo, isso é nítido, mas em quase todos os seus livros há menção aos lindos celtas, sejam eles britânicos ou galeses, e em A Hora das Bruxas um também tem. É amor demaaais prum livro só gemt. 
Leitura recomendadíssima meeeeesmo, e obrigatória, pra quem é fã da Anne Rice. Todos os livros dela sempre têm partes que me dão MUITO medo, mas esse teve várias que me deixaram apavorada, e eu gosto de livros que se propõem a falar de temas sobrenaturais e dão medo. Porque é isso o que eles tem de fazer, certo? Pior são aqueles livros epic fail que falam de fantasminhas, demoniozinhos e blá blá blá e você lê mas não tá nem aí. A Hora das Bruxas, muito pelo contrário, é rico em detalhes, em reviravoltas, em descrições e uma coesão que fazem essa história parecer totalmente possível. E além de tudo, é um livro bonito. Faz sua imaginação pensar em uma New Orleans linda, com casas antigas e avenidas sombreadas de árvores imensas, faz pensar em uma Escócia com colinas verdes e castelos em ruínas, numa Amsterdam linda com suas ruas arborizadas e os famosos canais de águas limpas que deixam Veneza no chinelo, e assim por diante. E faz suas despesas futuras aumentarem, porque é impossível ler os livros da Anne, especialmente esse, e não querer visitar New Orleans um dia, ou Amsterdam, ou até mesmo o Haiti. Como Escócia já está no meu itinerário futuro, só adicionei mais um local lá: Donnelaith.
É legal também ir conhecendo cada bruxa que aceita o legado Mayfair, sua história, seus revezes, e todas elas têm um podre pra contar, hehe. A minha preferida até agora é a Mary Beth. É legal também ver citações dos Mayfair em outros livros dela que já li, como em Merrick, que cita Julien Mayfair, e a própria Merrick, que é de um ramo mulato da família (porque não chegam a ser negros), já que houveram filhos com escravos, depois criados etc.
É aquele tipo de livro que você lê determinada cena, olha pro nada com cara de parede e fica: "hã...? É isso mesmo que aconteceu...?" Te deixa besta, só falta a gente começar a babar, haha.

E nossa, essas edições novas da Rocco pros livros da Anne ficaram lindas de shorar shampoo de jaborandi, mas as capas de As Bruxas Mayfair foram as mais lindas, de longe, pqp. Tô aflita pra ler o 2° volume já, mas vou ler outros livros antes dele, porque adoro ficar curiosa sobre o que vai acontecer em alguma continuação. Agora, resta saber o que vai acontecer com Lasher, e se Rowan vai aceitar o legado ou o amor de Michael. Além destes dois volumes, tem Taltos, e Lasher. Taltos já vi publicado por aqui, só em edição antiga, mas ainda se acha pra comprar, e Lasher se acha também, com alguma sorte.

Sobre a autora

Anne Rice nasceu no dia 4 de outubro (e eu no dia 7, haha morri <3) de 1941. Mora na Califórnia, mas nasceu em New Orleans, e é lá o cenário de seus livros maravilhosos. Nascida como Howard Allen O'Brien ela escolheu "Anne" como primeiro nome, ao entrar pra escola, e o "Rice" é de seu marido já falecido, o artista plástico e poeta Stan Rice. É a autora das famosos Crônicas Vampirescas, que incluem Entrevista com o Vampiro, O Vampiro Lestat, A Rainha dos Condenados, entre outros. Anne conta que escreveu Entrevista uma semana após sua filha ter morrido de leucemia, e que se inspirou nela para a personagem Claudia, uma vampira presa eternamente em um corpo de criança de 6 anos.

Um fato legal e válido de citar aqui: Anne era católica fervorosa quando jovem, depois se declarou atéia, e há uns anos atrás declarou que estava de volta ao catolicismo e até supostamente pediu perdão a Deus por tudo que havia escrito sobre vampiros, bruxas etc. Escreveu até uma série retratando Jesus quando criança, mas em entrevista dada em julho do ano passado, sobre abandonar o cristianismo, ela diz que continua sendo fiel a Cristo, mas não exatamente cristã, pois não consegue fazer parte de um grupo briguento, hostil e polêmico assim, já que se recusa a ser anti-feminista, anti-gay, anti-ciência, dentre outros "antis" muito interessantes e merecidamente citados. Como ela própria disse: "Mas seguir a Cristo não significa seguir os Seus seguidores. Cristo é infinitamente mais importante do que o cristianismo e sempre será, não importa o que o cristianismo é, foi ou poderia se tornar." Achei maravilhoso esse pensamento dela, me encheu de orgulho e me deixou ainda mais fã dessa diva. <3 Pra quem quiser ler a entrevista completa, eis o link. E pra quem não sabe, ELA VAI VIR NA BIENAL DO LIVRO DO RIO, ESSE ANO! *mil corações* Troquei o Rock In Rio com o Metallica só pra ver ela e ter meus livros autografados por ela. E pra mim foi uma troca mais que merecida, mais que justa. Metallica é uma das minhas bandas favoritas, mas eles virão fazer show aqui outras vezes. A Anne Rice, sabe-se se lá quando virá de novo, então não posso perder. :)

 Sobre o livro
 Nota: ★★★★★ - Excelente, leitura obrigatória 
Onde encontrar: comprei o meu no Submarino por R$ 9,90, mas era a edição sem orelha, então na hora de carregar fica meio danado, tem que tomar muito cuidado porque por qualquer coisa a pontinha abre e fica arregaçada. Achei a primeira edição, com a capa feia, nas Americanas por R$ 19, 71 (wtf esses 71 centavos?), e a edição com essa capa linda no Extra por R$ 43,11. Normal, todos os livros da Anne são caros, e essa edição, deve, pelo menos, ter a orelha né.    


                                                                                                                    

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Anne Rice escreve muito bem, seus livros são ótimos e tenho muita vontade de ler Hora das Bruxas, porém fico com o pé atrás por causa de ocorrer incesto na história. Tenho o maior nojo disso. Li um livro que tinha, nossa, não gostei, pois vinha as imagens dos meus irmãos. Sério senti algo repugnante. E na sinopse não revelava nada disso, foi uma surpresa desagradável.

    Tenho certeza que independente disso, o livro Hora das Bruxas deve ser excelente. Vou me preparar um pouco melhor para essa coisa de incesto, e quem sabe eu leia mais pra frente hehehe.

    Ah, quanto a minha lista de DVD´s no Twitpic não é por ordem de favorito, são os DVD´s que eu tenho, é que eu quis catalogar todos eles hehehe :P

    Beijinhos

    Ler e Almejar

    ResponderExcluir
  2. Me mata agora que eu nunca li NADA da Anne Rice :(
    Tenho três livros dela aqui na estante mas ainda não tive oportunidade de ler ;~
    E essas capas da edição da Rocco são realmente muito lindas *-*

    ResponderExcluir
  3. Oiii Jun, muito legal seu blog, adorei o banner, gatinhooos (neko em japonês né ;P)!

    Vi você como parceira do Meine-Liege, e simpatizei! ^^

    Beijos

    Bruna in Wonderland

    ResponderExcluir
  4. Oi, nossa nem conhecia essa autora, estou tão fora dos livros, dos filmes e etc ... ando preocupada com o colégio,serviço e etc. Nem tenho tempo para ler mas eu adoro tanto.Obrigada pela dica mesmo assim.

    Beijo e tenha um ótimo final de semana <3

    ResponderExcluir
  5. PRECISO ler algum livro da Anne Rice, tenho muita vontade de conhecer os livros dela e esse parece excelente, acho as bruxas personagens muito interessantes e, apesar de amar Harry Potter e tals, sinto falta de mais histórias assustadoras com elas, q explorem melhor a mitologia.
    Adorei a resenha, espero q eu tb vá à bienal(e q já tenha lido livros da Anne p/ ela autografar até lá haha), pq eu já vou perder o Rock in Rio, não sei se aguento ficar sem a bienal tb xD
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Anne é diva demais, né? *-* Eu ainda não li A Hora das Bruxas, mas está na minha lista de desejados. Ri litros com o "chorei shampoo" huahauhauhauhaa. Essa edição é muito mais bonita mesmo, vou ver se compro mesmo que seja sem orelha, já que nem costumo carregar livro qd saio :D

    Bjs,
    Kel - It Cultura
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  7. Yo, Jun-san :D
    Ah adorei seu blog, kawaii desu ^-^ Eu e você gostamos praticamente das mesmas coisas pelo que eu li no seu perfil. E você também tem cabelo colorido, é? hehe.

    Ainda não tive a oportunidade de ler nada da Anne Rice, mas ainda sim morro de vontade... Esse parece ser muito bom, até porque eu amo bruxas e etc.

    Já estou seguindo seu blog :) Jan ne.

    http://hypotheticalkingdom.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Jun, tô chegando aqui pela primeira vez. Li este livro tem pouco tempo e também o volume II, assim como você, comprei ambos pelo Submarino (realmente as capas ficaram LINDAS). Gostei ds dois volumes da Hora Das das Bruxas, li sem parar, a trama envolve mesmo a gente! Gostei do seu blog, vou seguir! Beijos.

    ResponderExcluir

© KURONEKO - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | CRIADO POR YASMIN BERARDINELLI